Leitora Vadia

Resenhas e notícias sobre romances estrangeiros que aquecem o coração e as roupas íntimas


Deixe um comentário

Resenha: Bad for you de Abbi Glines

coverbfu

Romance, YA (Young-Adult/ Jovem-Adulto)

ebook, 288 pages

Editora: Simon Pulse

Data de lançamento: 1 de Abril 2014

Sinopse

Vício foi algo que Kritt aceitou como parte de sua natureza a muito tempo atrás.  Ele decidiu abraçá-la e dar um dedo para regras. Mulheres sempre foi a coisa número 1 de sua lista de vícios. Ele não consegue se satisfazer. Ser o vocalista de uma banda de rock faz com que o acesso ao seu vício favorito seja muito fácil.

Estar só é  a única coisa que Blythe Denton entende. A família do pastor de uma cidade pequena que a criou não a aceitou como uma deles. A mulher do ministro sempre garantiu que Blythe entendesse o quanto indigna de amor ela era. Quando Blythe é enviada para outra cidade para iniciar seus estudos unversitários, e finalmente tem a oportunidade de viver sem ser um fardo indesejado para outros, ela esperar ter paz em sua vida. Viver sozinha não é algo que a incomoda. Ela escapa da realidade escrevendo histórias.

Entretanto, o cara tatuado e ridicularmente sexy que promove frequentemente festas no apartamento acima ao dela, está deixando-a louca. Pra começar, ele não a trata como ela esperaria de um cara que tem um mulher diferente a cada dia ao seu lado tratar alguém pouco interessante como ela. Ela não parece com as lindas mulheres que ela vê no apartamento dele, mas por alguma razão estranha ele continua aparecendo em sua porta.

Durante uma festa em seu apartamento, a nova vizinha de Krit aparece na porta com seu longo cabelo castanho em um bagunçado coque e com um óculos caido na ponta de seu pequeno nariz. Ela quer que ele abaixe o volume da música, mas ele a convence ficar.

***

Bad for you (Mau para você, em português) é um romance razoavelmente interessante para quem curte o gênero. Livros classificados como YA (jovem adultos) não são muito minha praia, para falar a verdade. É o sétimo livro da série Sea Breeze que promete muito mais publicações futuras.

Krit and Blythe ocupam pontos opostos na escala de sociabilidade. Ele é popular, mulherengo, festeiro, extremamente sexy e sedutor. Ela é tímida, introvertida, insegura, e com super baixo auto estima. Krit vê Blythe como algo precioso a ser protegido, inclusive de si mesmo. Por isso, apesar de estar super atraído por ela, tenta manter a relação na zona da amizade (claro que do meio pro final do livro ele muda de idéia).  Com um leve toque de erotismo , as cenas íntimas do casal são animadoras 😉

Krit tem sérios problemas psicológicos (ele tem transtorno de personalidade viciante, e Blythe é a sua mais nova obsessão, vício), mas loucamente isso não parece ser um grande problema para Blythe e outros personagens. Coitada, acho que ela não tem idéia no tipo de relação que está se metendo. Ou pior, ela tem noção e mergulha nessa dependência por estar faminta de atênção, e de se sentir especial para alguém. De qualquer forma, o livro não explorar profundamente como esses problemas afetam a relação em médio e mais longo prazo.

Nota: C

e você, o que acha?

 

Anúncios


Deixe um comentário

Resenha: Play de Kylie Scott

Play_capa Romance contemporâneo

 E-book, 304 páginas

 Editora: St. Martin’s Griffin

 Data de lançamento: 25 de março de 2014

Sinopse

Mal Ericson, baterista da famosa banda de rock Stage Dive, precisa melhorar sua imagem rapidamente – pelo menos por algum tempo. Ter uma garota legal do seu lado seria a soluçã0 ideal. Mal não planeja que essa solução temporária seja permanente, mas ele não esperava encontrar A garota certa.

Anne Rollins nunca imaginou que ela iria conhecer o roqueiro dos cartazes que cobriam as paredes de seu quarto quando adolescente – especialmente não nessas circumstâncias. Anne está problemas com dinheiro. Sérios problemas. Mas ser paga para atuar como falsa namorada  de um baterista festeiro não poderia acaber bem. Não importa o quão lindo e atrativo ele é. Ou poderia?

*****

Play é um romance meigo e engraçado.  O enredo principal é a história de como Mal Ericson, baterista de uma famosa banda de rock chamada Stage Dive, encontra e se apaixona por Anne Rollins, funcionária de uma livraria local.

Anne está passando por uma fase bem difícil. Sua melhor amiga vai embora do apartamento que compartilhavam sem nenhum tchau,  levando consigo boa parte dos móveis e sem reembolsar os empréstimos financeiros que solicitou a Anne ao longo dos anos que moraram juntas. Com numerosas dívidas, sem o reembolso dos empréstimos, e sozinha para suportar as despesas do apartamento, Anne está totalmente quebrada financeiramente. Com intuito de animar Anne, seus vizinhos (Lauren e Nate) a convidam para uma festa na casa de Evelyn (antiga moradora do edifício, atualmente casada com o guitarrista da banda Stage Dive, e personagem principal do primeiro livro desta sério LICK).  Na festa ela conhece pessoalmente Mal, o baterista da banda, e seu namorado platônico na adolescência.

O primeiro encontro dos dois é um tanto desconcertante para Anne. Primeiro, o choque de ver o cara de seus sonhos adolescente, lindamente sentando em sua frente.

“Sua bochechas estão rosadas. Você está tendo pensamentos indecentes sobre mim, Anne.”

“Não.”

“Mentirosa,” disse ele numa voz suave. “Você está totalmente me imaginando sem calças.”

Eu totalmente estou.

“Isso é rude, cara.  Uma invasão enorme de minha privacidade.” Ele se aproxima, sua respiração aquecendo meu ouvido. “ O que é que seja que você está imaginando, é maior.”

Segundo, o Mal é um tanto intrometido nos problemas pessoais de Anne, o que a desagrada razoavelmente. Mas o saldo no final da festa é positivo para os dois: interesse e atração mútua estabelecidos.

No dia seguinte, após ser expulso da casa de seu amigo, Mal se muda de mala e cuia para a casa de Anne – detalhe, sem solicitá-la ou comunicá-la. Ao chegar em casa depois de um cansativo dia de trabalho, Anne encontra um novo colega de casa e uma proposta incomum: fingir ser namorada de Mal por algum tempo (e não fazer muitas questões do porquê).

Ela topa!

E o que era fingimento, se transforma em sentimos reais e profundos através de uma séries de eventos divertidos, emocionantes, e sexy (yeahh, baby  supe super sexy!).

Play, assim como Lick – primeiro livro da série Stage Dive, ainda não possui tradução em português. Estou torcendo para que alguma editora brasileira tenha planos para essa série no curto prazo. E vocês que lêem em inglês, mergulhem em Stage Dive. Vocês não se arrependerão. Os romances são de leitura fácil e divertida- especialmente Play (que gostei bem mais que Lick).

Nota B

icon_31242